O que dizes tu?

Já Ouviste Falar em Escrita Persuasiva?
Imagem de vários livros sobre escrita

A escrita persuasiva, ao contrário de outras formas de escrita mais informativas serve para… PERSUADIR. (Não estavas à espera disto, confessa…)
É como dizer que este tipo de escrita convence quem te lê a concordar com um certo ponto de vista.

Os textos persuasivos, por norma, estão relacionados com os textos argumentativos, já que ambos discutem um assunto de forma séria, com argumentos lógicos e oferecem resoluções conclusivas.

A diferença entre os dois é que um texto persuasivo foca-se na experiência pessoal para conseguir apelar às emoções de quem está a ler.

um texto argumentativo, tal como um artigo jornalístico, centra-se nos factos.

Os textos argumentativos procuram, por regra, apresentar 2 lados de uma mesma questão, enquanto os textos persuasivos se focam apenas no ponto de vista do autor.

O Tom e a Linguagem também têm tendência para ser, regra geral, mais conversacionais, já que o objectivo passa por construir uma relação mais próxima entre o autor e as pessoas que o lêem.

*** Isto é Importante? Ok. Mas Porquê?

Para quem está a começar neste mundo de viver das palavras é importantíssimo perceber de que forma é que podemos melhorar a forma como comunicamos.

Percebe que há uma procura constante por pessoas que saibam escrever desta forma, sobretudo no mundo dos negócios, onde a comunicação se centra neste formato para convencer os leitores a tornarem-se clientes dos seus negócios.

Mas a escrita persuasiva não é exclusiva do mundo da publicidade ou dos negócios.
As suas técnicas podem ajudar a mudar crenças gerais que vivem na sociedade.

Aqui ficam 5 Conselhos Sobre Escrita Persuasiva que podes começar a aplicar já nos teus textos:

1) Escolhe Bem as Tuas Palavras

Este é um ponto fundamental em tudo o que escreves e é decisivo para a relação que vais criar com quem te lê.

Nada como escolher as melhores palavras e frases para convenceres a tua leitora de que a tua opinião está certa. Uma das tácticas que funciona sempre é escolher palavras e frases emotivas, que descrevam sentimentos — o que vai encorajá-la a fazer ligações emocionais ao que quer que seja que estás a escrever.

2) Faz Perguntas

As perguntas são uma forma incrível de fazer a transição de um tópico (ou parágrafo) para outro.
No entanto, na escrita persuasiva, qualquer pergunta que faças leva o leitor a dar a resposta na sua cabeça, ou pelo menos a pensar sobre o assunto.

Em 1º lugar as perguntas conseguem plantar ideias nas cabecinhas lindas dos leitores e conduzi-los direitinhos às tuas respostas. Depois, se tiveres apresentado as tuas provas e argumentos de forma cala e estruturada, os leitores vão chegar às tuas conclusões por si próprios — ahhhhh! o derradeiro objectivo da escrita persuasiva.

The Fear of Missing Out
Sabes Porque é Que As Perguntas Chateiam? Porque te obrigam a uma de 3 coisas:
não responder, mentir ou dizer a verdade.

3) Traça 1 Mapa de Persuasão

Aqui está um ponto importante.
Traçar um mapa de persuasão é como definir um guião para o teu argumento, desenhado para ajudar os escritores a organizar os seus pensamentos.

Esta é uma técnica que funciona muito bem para pessoas que se dispersam com facilidade, ou que têm dificuldade em manter uma linha de organização nos seus argumentos e ideias.

É uma óptima ferramenta, também, porque te permite pensar e alinhar tudo aquilo que queres dizer antes de começares a escrever.

4) Fala Para as Tuas Leitoras

Tal como te disse antes, a relação entre a autora e as leitoras é muito significativa e relevante na escrita persuasiva. É por isto que trato as pessoas por tu. Isso mesmo. Por tu.

Bem sei que é um problema em Portugal, já que a maioria das pessoas acredita nos mandamentos da formalidade e que temos de tratar toda a gente por você.
(É tão bom quebrar regras para comunicar de forma + eficaz e próxima)

Falar para os leitores é uma estratégia muito eficaz na escrita. Quem é que o diz?
Eu, que ando nisto há mais de 20 anos. Mas não só. Olha para os jornalistas e para os apresentadores de TV. Como é que eles falam com o público que está em casa? Ah pois é…

As pessoas gostam (e muito) de sentir que a atenção que estamos a dar-lhes é genuína, é terra a terra, é palpável e é próxima. É por isso que na televisão, na rádio, nos jornais e nas revistas se fala sempre só para uma e apenas uma pessoa. Para ti, ou para si.

Esta proximidade e aproximação na escrita permitem que quem te lê as sinta na pele.
Permite também que as leitoras sintam que estão a conversar com alguém.
Ainda que seja uma conversa que tem apenas uma pessoa a falar.

Ah! E claro, isto leva a que elas descontraiam e comecem a considerar os teus pontos de vista com a mente bem mais aberta.

5) Repete os Teus Argumentos Principais

A repetição é uma técnica clássica na escrita persuasiva (em particular na publicidade) e uma forma de conseguires enfiar as tuas ideias na cabeça das tuas leitoras.

Como qualquer professor te pode dizer, a repetição é um óptimo amigo da tua memória. Quanto mais ouvires uma coisa, maior é a probabilidade de te lembrares dessa mesmíssima coisa.

A repetição de uma ideia normaliza-a. Para o bem e para o mal.
Torna as ideias mais radicais em algo mais aceitável. Sobretudo quando é combinada com provas suficientes e alguma racionalidade.

Basta ver o que aconteceu, em Portugal, com o Chega.

Deixo-te aqui em baixo 2 exemplos de 2 peças de escrita persuasiva que conseguiram mudar o curso da história americana:

  1. A Declaração dos Direitos das Mulheres dos Estados Unidos, por Susa B. Anthony
  2. Carta da Prisão de Birmingham, por Martin Luther King Jr.

Para terminar, aqui ficam 3 Perguntas Frequentes sobre Escrita Persuasiva:

  1. O Que é a Escrita Persuasiva?
    É um texto onde o autor tenta convencer a sua leitora sobre um determinado ponto de vista.
    Ao contrário de trabalhos académicos ou de outros tipos de escrita formal, a escrita persuasiva tenta apelar às emoções usando provas factuais que suportam a sua opinião.
  2. Exemplos de Escrita Persuasiva?
    A declaração dos Direitos das Mulheres americanas e a Carta da Prisão de Birmingham de Martin Luther King Jr. são 2 bons exemplos de peças de escrita persuasiva.
  3. Quais São os Diferentes Tipos de Escrita Persuasiva?
    Para além dos que já apresentei, encontras exemplos deste tipo de escrita na publicidade, nos editoriais de jornais, discursos de figuras públicas, comunicados oficiais, etc.

Lembra-te disto, no próximo artigo, post ou anúncio que escreveres.

Antes de me ir embora, quero apenas fazer-te um convite: assina a minha newsletter semanal.

Junta-te a mim e a esta comunidade de quase 1200 pessoas que, todas as semanas, recebe um email com histórias reais, dicas, conselhos práticos e sugestões (de livros, artigos e muitas outras coisas) que te ajudam a melhorar a tua escrita e todos os teus conteúdos.

Espero por ti.

Nota: Este conteúdo partiu de um artigo publicado pela Grammarly no seu blog.

Outros Artigos

. . .

Inscreva-se na Newsletter